18156076_1018860278214198_8915902714918447734_o.jpg

Entrevistas e reportagens com o Valdely

Globo Repórter | PANC (Plantas Alimentícias Não Convencionais) alimentos do futuro

Programa mostra que nas florestas de todo o Brasil, cientistas estão descobrindo novas espécies - ricas em nutrientes. Elas são conhecidas como PANC, as plantas alimentícias não convencionais com Valdely Kinupp!

Globo Repórter | PANC (Plantas Alimentícias Não Convencionais) alimentos do futuro

TV Encontro das Águas | Reportagem com Valdely Kinupp

Entrevista com Valdely Kinupp

TV Encontro das Águas | Reportagem com Valdely Kinupp

Ministério do Meio Ambiente (MMA – Brasil) Entrevista Valdely Kinupp

Biólogo Valdely Kinupp fala sobre PANC para o canal do Ministério do Meio Ambiente (MMA)

Ministério do Meio Ambiente (MMA – Brasil) Entrevista Valdely Kinupp

Programa Ervas e Plantas | Valdely Kinupp sobre as PANC – Plantas Alimentícias Não Convencionais

Valdely Kinupp fala sobre as PANC, para que servem, como devem serem consumidas e como estão sendo aceitas no Brasil e no mundo

Programa Ervas e Plantas | Valdely Kinupp sobre as PANC – Plantas Alimentícias Não Convencionais

Agroecologia, Agrofloresta e PANC | Valdely Kinupp

Valdely fala sobre Agroecologia, Agrofloresta e PANC: Conexões essenciais para a agricultura produtiva e nutritiva. Visita ao Sítio PANC com o professor no I Encontro internacional de Comida Biodiversa.

Agroecologia, Agrofloresta e PANC | Valdely Kinupp

Bela Gil entrevista Valdely Kinupp

Bela Entrevista Valdely Kinupp, grande biólogo e professor do IFAM de Manaus, autor do livro "Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCS) no Brasil".

Bela Gil entrevista Valdely Kinupp

VEJA | O sabor e a força nutritiva das plantas não convencionais

Com perfil adequado aos novos humores da sociedade, as PANC chegam às mesas domésticas!

VEJA  | O sabor e a força nutritiva das plantas não convencionais

Folha de São Paulo | De urtiga a flores, chefs adotam plantas incomuns na cozinha

"Muito do que é tido hoje como não convencional já foi consumido no passado e, por algum motivo, o hábito se perdeu. O objetivo é resgatar esses sabores e driblar a monotonia à mesa", prega Kinupp.

Folha de São Paulo | De urtiga a flores, chefs adotam plantas incomuns na cozinha

Revista Época | As PANC que tem feito sucesso na cozinha

O acrônimo para as plantas comestíveis tem origem em obra do biólogo e doutor em agronomia Valdely Kinupp, que, em 2007, escreveu o livro Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil, em parceria com Harri Lorenzi, diretor do Instituto Plantarum.

Revista Época | As PANC que tem feito sucesso na cozinha

Hypeness | Conversamos com o biólogo e criador da sigla PANC Valdely Kinupp para entender melhor esse mundo mágico

Foi ele que inventou a sigla PANC (sem o “s” no final), que ao contrário do que se imagina, engloba muito mais do que matos de comer, incluindo hortaliças, as verduras, as tuberosas, as floríferas e as frutas. Para facilitar tanto a catalogação quanto o entendimento do assunto, o pesquisador e divulgador também assina, ao lado de Harri Lorenzi, o livro Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil, que funciona como uma “bíblia” do assunto.

Hypeness | Conversamos com o biólogo e criador da sigla PANC Valdely Kinupp para entender melhor esse mundo mágico

PANC, a revolução das plantas uma década depois

Passados treze anos do trabalho realizado em assentamentos da Região Metropolitana de Porto Alegre, o Coletivo Catarse reencontra Valdely Kinupp. Em entrevista remota, o biólogo avalia os avanços na popularização das PANC na última década tendo como ponto de partida a gravação do documentário “Projeto PANCs – Plantas alimentícias não-convencionais”. Traçando horizontes de luta e possíveis caminhos a se percorrer, Valdely defende a agroecologia e o uso múltiplo das PANC para combater a monocultura no campo, a monotonia alimentar na mesa e o colapso socioambiental causado pelo modelo econômico exploratório e insustentável.

PANC, a revolução das plantas uma década depois

Programa Terra Sul | Plantas Alimentícias Não Convencionais podem garantir nossa segurança alimentar

As PANCs, Plantas Alimentícias Não Convencionais, são plantas com potencial comestível que podemos encontrar perdidas até mesmo no quintal de casa. Dentro da categoria de PANCs estão verduras, hortaliças, frutas, castanhas, cereais, condimentos e corantes naturais.mas elas não são produzidas ou comercializadas em grande escala. Desconhecidas e muitas vezes esquecidas, essas plantas representam variedade de nutrientes e podem servir de garantia para a segurança alimentar.

Programa Terra Sul | Plantas Alimentícias Não Convencionais podem garantir nossa segurança alimentar

Revista TRIP | PANC é diversificação e não gourmetização


Valdely Kinupp, popularizador das Plantas Alimentícias Não Convencionais, fala sobre a importância dessas espécies, que até pouco tempo atrás eram tratadas como mato.

Revista TRIP | PANC é diversificação e não gourmetização

TV Brasil | Caminhos da Reportagem - Panc: do mato pro prato

O termo Panc nos faz lembrar do “Punk”, um movimento de contracultura dos anos 1970. Mas o que o Caminhos da Reportagem apresenta nesse episódio são as Plantas Alimentícias Não Convencionais (Pancs), que nascem espontaneamente e podem ser encontradas em quintais, lotes e jardins.
Nesta edição, nutricionistas, chefs de cozinha, agrônomos e consumidores que priorizam a alimentação saudável falam sobre a diversidade das Pancs, o valor nutricional que elas oferecem e ensinam como preparar pratos saborosos utilizando essas plantas.

TV Brasil | Caminhos da Reportagem - Panc: do mato pro prato

Conheça tudo sobre PANCs

O termo PANC foi criado por Valdelly Knupp, pesquisador que estudou cerca de 1.500 espécies de plantas, incluindo diversos tipos de hortaliças, verduras, raízes, flores e frutos que foram esquecidos ao longo do tempo, mostrou que muitas espécies não tradicionais podem (e devem) enriquecer nossa alimentação (do ponto de vista nutricional e sensorial) e tirar a nossa dieta da monotonia alimentar.

Conheça tudo sobre PANCs

Food Service News | Agora, é a vez das Panc

Quem propôs o termo Plantas Alimentícias Não Convencionais foi o professor e botânico Valdely Ferreira Kinupp, do Instituto Federal do Amazonas, em 2009, sendo, atualmente, a maior referência em Panc no Brasil e, possivelmente, no mundo, autor do livro ‘Plantas Alimentícias Não Convencionais no Brasil’. O livro cita a estimativa de pelo menos 10 mil Panc no Brasil, sendo apresentadas no livro 351 espécies, majoritariamente, frutas e hortaliças. Já a proposta de utilizar o sonoro acrônimo Panc, que, inclusive, brinca com o termo ‘punk’, muitas vezes usado em forma de gíria como ‘algo incrível, sensacional’, foi da nutricionista gaúcha Irany Arteche.

Food Service News | Agora, é a vez das Panc

Ecoplan | PANCs: soluções para segurança alimentar

As PANCs vem ganhando atenção, notoriedade e espaço em hortas escolares, urbanas e até rurais. Isso por que ao contrario das plantas cultivadas, nascem espontaneamente e constumam estar adaptadas as condições climáticas e dos solos locais. A resiliência das PANCs tornam esse grupo de vegetais bem presentes nas cidades já que demandam pouco ou nenhum cuidado ao mesmo tempo em que apresentam altos valores nutricionais.

Ecoplan | PANCs: soluções para segurança alimentar

Programa Agora | Manaus Selvagem

Reportagem no minuto 1:43:56

Programa Agora | Manaus Selvagem

Autosustentável | Alimentação saudável e o consumo de PANC (Plantas Alimentícias Não Convencionais)

As plantas alimentícias não convencionais, conhecidas pelo acrônimo PANC, são facilmente encontradas na natureza. São frutos, folhas, flores, rizomas e sementes que podem estar nos quintais, em canteiros ou entre as frestas das calçadas, nos terrenos baldios, na beira de estradas, sendo, por isso, confundidas com inços ou mato. Para Kinupp e Lorenzi (2014), as PANC são plantas que têm uma ou mais partes ou porções que podem ser consumidas na alimentação humana sendo elas exóticas, nativas, silvestres, espontâneas ou cultivadas.

Autosustentável | Alimentação saudável e o consumo de PANC (Plantas Alimentícias Não Convencionais)

Jornal do Comércio | “Panc” podem agregar valor a alimentação saudável

Num mundo cada vez mais faminto por alimentos nutritivos e saudáveis, estamos cercados por eles e nem percebemos, mas não os percebemos porque desconhecemos seu potencial. São as panc (plantas alimentícias não convencionais), palavra criada pelo biólogo e doutor em agronomia, o carioca Valdely Kinupp, que desde 2014 possui um sítio no ramal do Brasileirinho onde mantém cerca de 300 variedades de panc.

Jornal do Comércio  | “Panc” podem agregar valor a alimentação saudável

A Voz da Serra | Panc: Brasil tem cinco mil plantas comestíveis

Nascido em Cantagalo, com menos de dois anos mudou-se com a família para Nova Friburgo. Estudou no Colégio Estadual Jamil El-Jaick (Ceje) e aos 19 anos entrou para a Universidade Estadual de Londrina (PR), onde se formou em Ciências Biológicas. Ali deu os primeiros passos para uma carreira que, ao longo de mais de 20 anos, se consolida com estudos e pesquisas divulgadas em publicações especializadas.

A Voz da Serra | Panc: Brasil tem cinco mil plantas comestíveis

Revista TRIP | Você come mato?

"Minha história com as PANCs começou antes de eu nascer", diz o biólogo e professor Valdely Kinupp, um dos responsáveis pelo avanço nos estudos das espécies comestíveis. De família humilde de trabalhadores do campo do interior do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, ele saiu da zona rural aos 19 anos para fazer faculdade de ciências biológicas na UEL [Universidade Estadual de Londrina]. "Meu pai sabia todos os usos para as plantas, desde as medicinais até as de alimentação. A gente comia várias espécies em saladas, refogados e sopas."

Revista TRIP | Você come mato?

Cozinhando com PANC: o que é, onde encontrar e uma receita para inspiração

Para quem quiser se aprofundar no assunto, um livro referência é o “Plantas Alimentícias Não Convencionais do Brasil”, escrito por Valdely Kinupp e Harri Lorenzi.

Cozinhando com PANC: o que é, onde encontrar e uma receita para inspiração

Programa Partiu Amazônia

O programa foi até o 'Ramal do Brasileirinho' para falar sobre Agrofloresta. Julia Magalhães aproveitou para comer um pouquinho. Você já provou urtiga?

Programa Partiu Amazônia

Os superalimentos desprezados que poderiam ajudar a reduzir a fome no Brasil

A cada ano, entre 60 e 70 milhões de toneladas do fruto mais rico em carotenoides do mundo amadurecem no Brasil, mas só uma ínfima parcela é aproveitada por humanos.

Os superalimentos desprezados que poderiam ajudar a reduzir a fome no Brasil

Video: Os superalimentos desprezados que poderiam ajudar a reduzir a fome no Brasil

Versão audiovisual da matéria da BBC

Video: Os superalimentos desprezados que poderiam ajudar a reduzir a fome no Brasil

AÇAÍZEIRO O REAPROVEITAMENTO DO CAROÇO DO AÇAÍ

O Açaí é consumido em grande escala no Brasil de todos os cantos da Amazônia. O problema é o descarte dos resíduos do beneficiamento, no caso os caroços, que como qualquer lixo orgânico, se descartado de forma incorreta polui o meio ambiente com Chorume e Gás Metano podendo entupir bueiros e galerias pluviais. A solução que o Sitio Panc, projeto liderado pelo Professor Valdely Ferreira Kinupp encontrou, foi aproveitar esses caroços de açaí na produção agrícola na forma de composto para cobertura do solo vegetal.

AÇAÍZEIRO O REAPROVEITAMENTO DO CAROÇO DO AÇAÍ